Bacaba do Nosso Cerrado Brasileiro

bacaba pode prevenir desenvolvimento de doenças crônicas

  A bacaba, bacaba-açú ou bacaba-verdadeira (Oenocarpus bacaba) é uma palmeira nativa da Amazônia. Distribui-se por toda Bacia Amazônica, com maior freqüência no Amazonas, Pará, Acre, Maranhão e Tocantins. Possui como habitat a mata virgem alta de terra firme.

 Também se acha na floresta do Pacífico, no oeste da Colômbia. É uma palmeira monocaule de porte alto e estipe liso. Pode atingir até 20 metros de altura e 20 a 25 cm de diâmetro.

 O fruto é uma drupa subalongado quando jovem, subglobosa quando adulto podendo atingir até 3,0 gramas. A propagação é feita por sementes que germinam entre 60 e 120 dias, apresentando crescimento lento.

 É arredondada, de casca roxa e polpa branco-amarelada, rica em um óleo, de cor amarelo-clara, usado na cozinha. A polpa do fruto é utilizada no preparo do "vinho de bacaba".

 A polpa é extraída do fruto desta palmeira, a qual dá frutos em cachos com dezenas de caroços. Os cachos pesam normalmente 6 a 8 quilos, podendo ocorrer, no entanto, exemplares com mais de 20 quilos. Para a obtenção da bebida, procede-se da mesma forma que no preparo do açaí.

 Obtém-se, assim, um líquido de cor parda, servido gelado com açúcar, farinha de tapioca ou farinha-d'água. Deliciosa e refrescante, a bacaba é, no entanto, menos popular que o açaí.

 É muito usada também para fazer sorvetes. As amêndoas e os restos de macerado da polpa são utilizados na alimentação de suínos e aves. As folhas são usadas pela população do interior como cobertura de moradias, enquanto o tronco serve como esteio, viga e cabo de ferramentas.

 Existe uma cidade no Maranhão chamada Bacabal que recebeu este nome devido à grande quantidade dessa fruta existente ali no ano de sua emancipação.

  Origem : Brasil. Família : Palmae Altura : até 20 metros. Finalidade : frutos comestíveis. Finalidade terapêutica : o "suco" ou "vinho" da bacaba é recomendado às pessoas que precisem de uma alimentação rica em vitaminas e proteínas ou necessitem ganhar peso.

  Curiosidade : apensar de ser a menos explorada das palmeiras frutíferas da Amazônia, principalmente do trio mais conhecido, (açaizeiro, pupunheira e bacaba), muitos a consideram a de porte mais elegante e ornamental, como de resto as outras "oenocarpus".

 O seu fruto, como o do abacate, é considerado "gordo" pelo homem do interior, graças à sua grande concentração protéica. Um dia ainda será a "bola da vez" da geração saúde.

  O processo de fabricação do vinho de Bacabá é simples: após coletados os frutos, lavam-se e deixam-se imersos em água quente; a casca e o mesocarpo ficam moles, destacando-se com facilidade da semente. Em seguida passa-se em peneira, misturando um pouco de água e depois coando-se em pano seco.

  Além do vinho, o Bacabá é usado para fazer sorvetes. De seu tronco é extraído palmito. De suas folhas novas no sul do Pará, é confeccionada uma vassoura. Seu tronco é usado como vigas, ripas e cabos de ferramentas e o caroço como adubo e ração para animais.

   O óleo do fruto do Bacabá é utilizado para o tratamento de infecções pulmonares. O Bacabá é usado pelos indigenas desde antes do descobrimento, mas ainda não foi domesticada.

  Existem muitas espécies de bacabeiras. Alguns exemplos são a Oenocarpus mapora Karsten (bacabinha); Oenocarpus minor C. Mart. (bacabi); Oenocarpus bataua C. Mart. (patauá) ou bacabão, considerado um cruzamento da bacabinha com o patauá.


Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade